Na onda dos apps de delivery, as motos autônomas substituirão os motoboys?

As motos tomaram conta das ruas devido a grande vantagem do baixo consumo de combustível e por ter um preço mais acessível que a maioria dos automóveis. Entretanto, há motos que consomem mais combustível do que muitos automóveis, de acordo com a cilindrada do motor. Porém, quando se trata de mobilidade urbana sabemos que ter uma moto acaba sendo a solução de grande parte da população para fugir das longas horas de transito e dos transportes públicos lotados nas grandes capitais do Brasil, oitavo país que mais produz motos no mundo. #VaiBrasil

Além de ser um meio de transporte rápido, prático e econômico a moto também é uma ferramenta de trabalho para muitos. Muitos mesmo! E a tendência de crescimento dos aplicativos de entrega só deve fazer com que o número de entregadores cresça também.

Talvez você não tenha percebido, mas quase metade das cidades brasileiras tem mais motos do que carros.

Apesar de todos os benefícios, a segurança ainda é um ponto de atenção para quem tá afim de entrar pro mundo das duas rodas ou para quem já está nele. Infelizmente no Brasil as motos são os veículos que mais causam mortes no trânsito. Uma das minhas metas pessoais é fazer com que através do meu trabalho eu possa fazer algo significativo para mudar essa realidade.

As motos autônomas trazem muita tecnologia e segurança para os pilotos. E não, as motos autônomas não vão tomar o trabalho dos motoboys e motogirls. Esse é o trabalho dos drones! Talvez uma galera deixe de pilotar motos pelos corredores e comece a pilotar drones pelos céus num futuro próximo.

O prazer de pilotar uma motoca está muito ligado ao desafio de se sentir perfeitamente integrado à máquina e chegar a uma série de lugares inexplorados, com certo espírito de aventura. E este aspecto desafiador é algo fascinante e difícil de explicar. Mas pensar em uma moto autônoma, para levar duas pessoas, protegidas dos riscos de pilotar uma moto pode parecer uma solução incrível para um problema bem grave.

Motos Autônomas

Em 2017 o “Riding Assist” da Honda foi atração da CES já que os engenheiros reinventaram o sistema de equilíbrio automático, que permite que a moto fique em pé sem o equilíbrio do piloto. Ela também dispensa o uso de giroscópios, utilizando um novo sistema de gerenciamento de condução autônoma instalado na roda dianteira.

O sistema de equilíbrio automático que a Honda desenvolveu poderá ser aproveitado em outras motocicletas, não necessariamente elétricas e autônomas. Basta efetuar alguns ajustes de tamanho e de espaço para que esse mesmo sistema seja utilizado em motos urbanas de baixa cilindrada.

Depois da KTM, Ducati, Honda, Yamaha e até da Harley-Davidson terem já revelado o seu envolvimento com a condução de motos autónomas, a BMW Motorrad também resolveu entrar no páreo e apresentou uma moto incrível.

Uma moto que acelera, faz curvas e reduz até parar sozinha parece coisa de ficção científica, mas não é. A montadora alemã, criou um protótipo com estas características. Mas será que uma moto autônoma é segura? Os projetistas garantem que sim.

Apesar da proposta ousada o vídeo dá a entender que a tecnologia de autonomia da 1200 GS pode ser considerada como nada mais do que um “recurso avançado de assistência ao motorista”. Parece feitiçaria, mais é só tecnologia gente!

Essa maravilha é a R 1200 GS Adventure que, de forma independente e autônoma, fez as suas primeiras voltas sem condutor ou comandos à distância, num circuito de testes do BMW Motorrad Group no sul da França. Este projeto piloto e quase secreto, foi desenvolvido ao longo dos últimos anos pela equipe de inovação da BMW Motorrad e eles afirmam que o objetivo final não é criar uma moto que ande sozinha, sem piloto e sim entender a dinâmica do comportamento das motos para assim poder desenvolver sistemas e funções que possam avaliar situações de potencial risco durante a pilotagem e alertar o piloto ou, eventualmente até, intervir dinamicamente para que o piloto tenha mais segurança.

Os resultados têm deixado toda a equipe muito satisfeita, pois além da grande quantidade de dados que tem conseguido recolher com estas experiências, conseguem fazer com que a moto arranque, viaje sozinha por um determinado percurso e finalmente pare apoiada num descanso lateral sozinha.

Mas para aqueles que acham que as maquinas vão dominar o planeja e as pessoas, calma! Quando a moto estaciona, ela precisa de uma ajudinha humana para voltar a andar, pois o giroscópio utilizado que garante a estabilidade da moto em movimento não funciona quando a moto está parada, no descanso. Ufa! Mas fiquem atentos, porque isso prova que as motos são do futuro e o futuro é agora!

Por mais que estejamos longe de ver motos autônomas andando pela cidade, as motos elétricas já são realidade. O futuro das motos elétricas já chegou.

Motos Elétricas

Até há pouco tempo, energia elétrica no trânsito era coisa de projetos futurísticos. Mas como a inovação e a tecnologia percorre todos os segmentos, hoje, já dá para rodar por aí com motos elétricas e ecológicas, compradas pelo preço de uma moto comum e com autonomia suficiente para um bom passeio. Ou seja, aquela tomada extra na garagem, quem diria, pode ser a sua fonte de economia. Muitas pessoas preferem motos à carros pelo fato de serem mais baratas, econômicas e práticas. Dessa forma, as motocicletas elétricas aparecem como uma opção ainda melhor, pois além de todas facilidades citadas, elas não emitem nenhum tipo de gás tóxico na atmosfera e nosso planeta fica felizão!

Assim como os carros elétricos, as motos elétricas são alimentadas pela energia armazenada em baterias de chumbo-ácido ou de lítio, que possuem maior capacidade de armazenamento, além de serem mais leves. Para carregar as baterias, basta conectar a entrada de energia da moto em uma tomada comum, 110 ou 220V. O tempo de carregamento vai variar de acordo com o modelo de moto e o tipo de bateria utilizado. Você também pode utilizar os postos de energia elétrica para abastecer, as mesmas utilizadas pelos carros elétricos.

Um modelo de moto elétrica interessante é a C Evolution, da BMW Motorrad. Com aparência moderna e com um painel bem diferente do convencional, que parece mais um celular do que um painel ela conquista pelo olhar e pelo motor. Sua autonomia é de 160 km e ela arranca de 0 a 50 km/h em apenas 2,8 segundos.

Mas se você ficou com a impressão de que moto elétrica é “pequena” a Harley-Davidson Livewire vai te surpreender. Silenciosa, leve muito ágil vai de 0 a 100 km/h em apenas 3,8 segundos. Ela sai de fábrica com 55 kW de potência que correspondem a cerca de 74 cv.

Conversar
1
Precisa de ajuda?
Olá!
Podemos te ajudar?